Casa Verde e Amarela

Programa Casa Verde e Amarela 2022

O Minha Casa Minha Vida vai mudar de nome, agora vai se chamar Casa Verde e Amarela.

casa-verde-e-amarela-minha-casa-minha-vida

Mudanças Casa Verde e Amarela

O Programa Casa Verde e Amarela foi criado pelo MDR – Ministério do Desenvolvimento Regional e tem como objetivo promover que a população obtenha uma casa própria digna e de qualidade.

Essa iniciativa partiu do atual governo e veio para substituir o programa Minha Casa Minha Vida criado por governos anteriores e que também permitiu que milhares de brasileiros estejam hoje morando em seu próprio lar.

O Casa Verde e Amarela promete tornar mais eficiente a utilização dos recursos financeiros e objetiva atender uma média de 1,6 milhões de famílias do grupo de baixa renda até o ano de 2024.

O meio pelo qual pretende fazer para alcançar tantas famílias é a redução das taxas de juros do FGTS – Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e alterações na remuneração dos agentes financeiros. A população do Nordeste e Norte do país obterão redução de até 0,5 pontos percentuais para cada família inscrita no programa e que tenham como renda mensal até 2 mil reais e 0,25 pontos percentuais para famílias com renda entre 2 mil e 2600 reais.

Especialmente para moradores dessa região os juros para cotistas do FGTS poderão atingir até 4,25% por ano e para os moradores das demais regiões do país, as taxas chegarão a 4,5% ao ano.

O Programa Casa Verde e Amarela também tem como foco de atuação regularização fundiária e implementação de melhoria de residências que ainda não possuem banheiro com água encanada, problemas de inadequação em sua estrutura entre outros e objetiva atender cerca de 400 mil famílias até o ano de 2024.

Programa Casa Verde e Amarela – Como Funciona?

O que é Minha Casa Minha Vida e Casa Verde e Amarela?

O Casa Verde e Amarela, antes chamado de Minha Casa Minha Vida é um programa criado pelo Governo Federal que oferece condições especiais e atrativas para que famílias com diferentes faixas salariais possam obter a sua casa própria com condições diferenciadas dos demais financiamentos imobiliários.

As faixas salariais são os indicativos que determinam as regras para cada público alvo e é através dessa informação que as taxas de juros, quantidade de parcelas, valor mensal e os valores dos subsídios do governo, que podem chegar a quase 50 mil reais, são selecionados.

O programa atua em parceria com os municípios, estados, entidades sem fins lucrativos e empresas particulares que juntos permitem que milhares de brasileiros tenham a oportunidade de adquirir o seu imóvel próprio.

O Minha Casa Minha Vida abrange o financiamento para cidadãos que desejam adquirir um imóvel em áreas urbanas e rurais.

Para ser contemplado pelo programa é necessário cumprir com alguns requisitos e comprovar os dados informados através de documentação. Outra vantagem é que o interessado em adquirir um imóvel pode utilizar como valor da entrada o saldo total do seu Fundo de Garantia.

Diferenças entre o Casa Verde e Amarela e o Minha Casa Minha Vida

casa-verde-e-amarela-minha-casa-minha-vida-diferencas

o-que-mudou-minha-casa-minha-vida-casa-verde-amarela

Como Funciona o Casa Verde e Amarela?

O programa casa verde e amarela oferece segurança jurídica, redução dos conflitos fundiários e ampliação do acesso a créditos das famílias que buscam financiar sua casa própria. O foco do programa é de famílias com renda de no máximo de cinco mil reais em busca de financiamento de imóveis.

Pelo financiamento de imóveis pelo programa você poderá financiar sua casa própria com baixos juros e de forma mais segura. Com novos modelos de casas e novas formas de financiamento o programa casa verde e amarela busca atender da melhor forma a população.

Um dos grandes diferenciais desse programa é a redução e variação da taxa de juros de acordo com salário e região.

Casa Verde e Amarela 2022 Inscrições

Como funciona o Programa Minha Casa Minha Vida?

O Programa Minha Casa Minha Vida é destinado para famílias com diferentes faixas salariais e é essa informação que determina a forma como a inscrição deve ser realizada. Famílias com renda inferior a até R$ 1800 devem realizar a sua inscrição na prefeitura da sua cidade ou em uma entidade credenciada pela Caixa Econômica Federal.

Famílias com renda superior a R$ 7000 podem solicitar a sua participação no programa através de uma entidade credenciada ou de forma individual sendo necessário solicitar uma simulação para verificar o valor definido como entrada, os valores das parcelas e quantidade de vezes, pois esses dados dependem da faixa salarial e do cálculo de comprometimento da renda familiar.

A simulação permite conhecer as possibilidades de valor de parcela, valor da entrada, quantidade de meses para pagar, subsídios do governo entre outros dados importantes. Se o cadastro for aprovado, é possível utilizar o saldo do Fundo de Garantia como valor da entrada e são solicitados documentos pessoais e comprovantes de renda.

Como se Inscrever no Minha Casa Minha Vida?

Os interessados em se inscrever para o Minha Casa Minha Vida devem se atentar para o valor da sua renda familiar, pois famílias com renda de até R$ 1800 mensais precisam verificar como é realizado o cadastro para o programa nas prefeituras de sua cidade. Em algumas localidades essa inscrição é feita em unidades do CRAS que possibilitam o cadastro ao Bolsa Família e outros programas e benefícios do Governo Federal.

Famílias com renda entre R$ 1800 e R$ 7000 podem solicitar a sua participação no programa Minha Casa Minha Vida através de entidades organizadoras, corretores de imóveis ou de maneira individual. Ao escolher a contratação individual, o interessado deve acessar o site da Caixa Econômica Federal, selecionar a aba Minha Casa Minha Vida e iniciar a simulação informando seus dados pessoais, número do PIS, dados dos familiares que compõem o grupo familiar, renda e valor do FGTS caso este for usado para o valor da entrada. O próximo passo é reunir os documentos necessários e entregá-los na Caixa ou em um Correspondente Caixa Aqui.

Minha Casa Minha Vida 2022 – Cadastro, Inscrição

Quais as Regras do Minha Casa Minha Vida?

As regras do Minha Casa Minha Vida podem ser acessadas no site da Caixa Econômica Federal que disponibiliza todas as cartilhas referentes ao programa. Essas cartilhas contém as cláusulas, legislação, informações quanto a contratação e outros dados relevantes.

As regras básicas do programa para a faixa 1, famílias com renda de até R$ 1800, são os seguintes:

  • Renda mensal familiar de acordo com o valor máximo que é R$ 1800;
  • Não possuir nenhum imóvel em seu nome;
  • Não ter sido contemplado com outro programa habitacional subsidiado pelo governo, estado, município ou ainda descontos através do uso do FGTS ainda que para aquisição de materiais para construção;
  • Apresentar a documentação necessária para comprovar os dados informados.

As regras para essa faixa de participantes são enfatizadas devido a sua natureza de proporcionar acesso a uma habitação para famílias com menores rendas.

Minha Casa Minha Vida 2022 Novas Regras

Quais documentos para o Minha Casa Minha Vida?

Os documentos necessários para dar entrada na solicitação do Minha Casa Minha Vida são os documentos de identificação de todos os integrantes da família que compõem a renda mensal. Esses documentos podem ser Registro Geral ou documento equivalente como por exemplo Carteira Nacional de Habilitação, Passaporte, documento de identidade trabalhista entre outros de igual valor, CPF, Comprovante de endereço, comprovantes de pagamento que podem ser holerites ou contracheques dos três últimos meses trabalhados.

Após a análise cadastral, simulação e aprovação do financiamento são gerados os contratos que deverão ser assinados e entregues para o representante da Caixa ou corretor que esteja realizando o procedimento.

Financiamento CAIXA – Documentos necessários

Como renovar o cadastro Minha Casa Minha Vida?

O cadastro do Minha Casa Minha Vida é feito uma única vez e se aprovado é preciso apenas que o titular do financiamento mantenha seus dados cadastrais atualizados junto à Caixa Econômica Federal.

Na hipótese do financiamento não ser aprovado, é possível verificar os impedimentos e regularizá-los ou aguardar um melhor momento para enviar uma nova solicitação para a Caixa Econômica.

A qualquer momento uma simulação pode ser realizada no site do banco e qualquer pessoa pode realizar o procedimento sem qualquer compromisso, apenas com a finalidade de consultar as possibilidades que estão disponíveis para o seu número de CPF.

Como faço pra comprar um imóvel pela Caixa?

Os interessados em comprar um imóvel pela Caixa Econômica podem verificar se sua renda se encaixa no programa Minha Casa Minha Vida que contempla pessoas cuja renda familiar seja de no mínimo R$ 1800 mensais e de no máximo R$ 7000. Esse grupo é dividido em outros 5 grupos de forma que as taxas, quantidade de parcelas, valor das parcelas, juros e demais taxas são diferenciadas entre eles.

De acordo com a faixa na qual se encaixa, é preciso que o interessado simule o seu contrato no site da Caixa Econômica Federal para conhecer as opções de pagamento e nesse momento é possível informar o valor do saldo do FGTS que pode ser utilizado para custear o sinal que deve ser pago.

Para efetivamente comprar o imóvel pela Caixa é preciso realizar a solicitação de forma individual no site do banco ou procurar atendimento de um corretor que oferece essa opção de financiamento.

Minha Casa Minha Vida Vale a Pena?

Sim. O Minha Casa Minha Vida vale a pena para os cidadãos que ainda não possuem a tão sonhada casa própria e que desejam obtê-la através de um financiamento diferenciado, com taxas e tarifas mais baixas e condições especiais no que se refere ao valor das parcelas, quantidade de anos para pagar e entrada facilitada com o uso do FGTS.

O valor da entrada é abatido do valor total do imóvel sem contar que o governo oferece subsídios de até 90% do valor da casa e o restante pode ser parcelado em até 120 meses com parcelas que vão de R$ 80 a R$ 300 reais.

O programa tem auxiliado muitas famílias a adquirir a sua casa por meio de condições que se adéquam a realidade dos brasileiros que possuem rendas mais baixas.

Dá para construir pelo Minha Casa Minha Vida?

Não. O Minha Casa Minha Vida é destinado a cidadãos que ainda não possuem a sua casa própria sendo esta uma de suas regras. Porém, a Caixa Econômica Federal possui linhas de crédito destinada a quem deseja construir, reformar ou decorar o seu imóvel e estas opções devem ser consultadas no site do banco ou com representantes credenciados.

Qual a renda mínima para financiar um imóvel pela Caixa?

O programa Minha Casa Minha Vida atende 4 faixas de contratantes divididos de acordo com sua renda familiar e não há uma definição para a renda mínima, pois a regra se baseia na renda máxima para cada perfil de família.  As faixas são distribuídas seguindo as seguintes regras:

  • Faixa 1 Renda de até R$ 1800
  • Faixa 1,5 Renda de até R$ 2600
  • Faixa 2 Renda de até R$ 4000
  • Faixa 3 Renda de até R$ 7000

Os maiores subsídios são destinados às famílias com menores rendas sendo que para alguns financiamentos são concedidos incentivos de até 90% do valor total do imóvel e o restante é parcelado em até 120 vezes e com parcelas reduzidas de R$ 50 a R$ 250 mensais.

Qual o valor máximo do imóvel Minha Casa Minha Vida?

Não há uma definição para o valor máximo do imóvel financiado pelo programa Minha Casa Minha Vida, pois essa variável depende do valor total da renda familiar, pois é através dessa informação que a simulação é realizada e resulta em valores, quantidade de parcelas, valores mensais e demais informações.

Sendo assim não há fixado o valor mínimo ou máximo para o imóvel uma vez que é necessário realizar a simulação para averiguar cada situação em particular. No entanto o subsídio de até 90% geralmente é concedido para imóveis de até R$ 96000 e os restante dividido em até 120 meses com parcelas reduzidas que não ultrapassam R$ 300.

Como consultar sorteios do Minha Casa Minha Vida?

O sorteio do Minha Casa Minha Vida geralmente é realizado em local público e em evento organizado pelas prefeituras das cidades e entidades parceiras que antecipadamente divulgam data e horário para que os inscritos compareçam.

O sorteio acontece sempre que o número de pessoas inscritas e interessadas no financiamento é maior que o número de imóveis disponíveis. As moradias sorteadas são destinadas a cidadãos que se enquadram na faixa cuja renda máxima é R$ 1800, pois para esse grupo a taxa de juros é mais reduzida, os valores das parcelas vão de R$ 80 a R$ 270 e podem ser pagas em até 120 meses.

Oferecendo essas condições é comum que a população de baixa renda tenha grande interesse em se inscrever para buscar garantir o seu imóvel e desse grande número de interessados que surge a necessidade de aplicar o sorteio.

Sorteio Minha Casa Minha Vida

Pode usar FGTS no Minha Casa Minha Vida?

Sim. O contratante pode usar o saldo total ou parcial do seu FGTS para pagar o valor da entrada do financiamento. Se for de seu interesse pode ainda somar o valor do saldo acumulado com outro valor que tenha a disposição. Exemplo:

R$ 25000 de saldo do FGTS + R$ 10000 valor disponível = R$ 35000.

Essa possibilidade favorece trabalhadores que possuem anos de registro em carteira e consequentemente valor acumulado em sua conta vinculada. O FGTS não pode ser sacado ou movimentado pelo trabalhador em outros, exceto os casos excepcionais, como é o caso do uso para o Minha Casa Minha Vida.

O interessante é que o valor do FGTS utilizado como entrada do financiamento proporciona redução do valor da parcela mensal que será fixada no ato da contratação.

Minha Casa Minha Vida Precisa dar Entrada?

As casas destinadas para cidadãos da faixa 1 do programa Minha Casa Minha Vida geralmente não exigem valor de entrada porque são destinadas a famílias de baixa renda que recebem no máximo R$ 1800 mensais.

Para cidadãos desta faixa existem alguns benefícios como parcelas estendidas, menores taxas de juros, valores de parcelas que variam entre R$ 80 e R$ 300 e que pode ser pagas em até 120 meses.

Essas facilidades permitem que milhares de pessoas adquira sua casa própria embora não tenham uma renda alta. O saldo do FGTS pode ser utilizado como valor da entrada do imóvel e isso ocasiona que o valor das parcelas acaba sendo menor e mais fácil de ser pago durante os anos.

Qual o número máximo de parcelas do Minha Casa Minha Vida?

O programa Minha Casa Minha Vida oferece condições especiais para cidadãos com renda de até R$ 7000 sendo que na faixa 1 o valor máximo da renda não deve ultrapassar R$ 1800.

Além das baixas taxas de juros, a possibilidade de pagar a entrada com o saldo do FGTS, o programa permite que as parcelas sejam pagas em até 120 vezes.

Dessa forma o prazo estendido para pagamento do financiamento é um dos atrativos para famílias que desejam adquirir o seu primeiro imóvel utilizando os benefícios proporcionados pelo programa.

Como comprovar Renda para o Minha Casa Minha Vida?

A comprovação da renda para o Minha Casa Minha Vida deve ser realizada através de holerite, contra-cheque ou comprovante de pagamento mensal.

São aceitos os mais recentes, de preferência os três últimos. A carteira de trabalho também é um importante comprovante de renda, porém é mais proveitoso utilizar o holerite ou contracheque porque nele consta o valor bruto recebido pelo trabalhador e esse valor é mais alto do que o que consta na CTPS, pois reúne o valor do salário e os demais vencimentos provenientes do trabalho.